Mar de gente: DF terá 3,4 milhões de habitantes em 2030

Ceilândia, Samambaia e Plano Piloto deverão ser as regiões mais populosas do DF em 2030, de acordo com previsão divulgada em pesquisa da Codeplan

A população do Distrito Federal em 2030 será de 3,4 milhões de habitantes. É o que estima a pesquisa demográfica da Companhia de Desenvolvimento do DF (Codeplan) divulgada nessa quinta-feira (5).

Em 2020, o número de residentes no DF foi estimado em 3,05 milhões — o aumento será de aproximadamente 350 mil novos habitantes em 2030. A taxa de crescimento anual passará de 1,39% para 0,98%, considerando os mesmos períodos.

O estudo destacou que a redução da taxa de crescimento aponta para o crescimento extraordinário da população idosa. Em 2010, as pessoas idosas representavam 7,6%. Em 2030, o índice mais que dobrará e atingirá 17%. Isso significa uma projeção de 565 mil residentes com mais de 60 anos.

“A estrutura etária envelhece e pode envelhecer ainda mais”, ressaltou a diretora de Estudos e Políticas Sociais da Codeplan, Ana Maria Nogales Vasconcelos. A diretora observou que a previsão é de que ocorra uma redução no número de nascimentos na região.

Ranking da distribuição populacional

Em 2030, o ranking das regiões com maior número de habitantes incluirá Ceilândia (355 mil), Samambaia (288 mil), Plano Piloto (250 mil), Taguatinga (221 mil) e Planaltina (233 mil).

Projeto habitacional concluído no DF. Foto: Paulo Carvalho / Agência Brasília

Construção de habitações promove aumento da ocupação

Os projetos habitacionais do governo deverão influenciar o crescimento da ocupação de áreas no Distrito Federal nos próximos anos. A pesquisa da Codeplan mostrou que São Sebastião e Itapoã crescerão muito no período de 2020 a 2030.

Destacam-se ainda Planaltina (DF), Jardim Botânico, Recanto das Emas e a expansão do Mangueiral.

Acesse a pesquisa

O estudo Projeções Demográficas por Região Administrativa 2020-2030 estará disponível para consulta a partir da próxima semana no site da Codeplan.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

43% dos beneficiários do Auxílio Brasil estão inadimplentes