Moisture sandwiching: conheça a técnica para manter a pele mais hidratada

Sanduíche de umidade: embora muitas tendências de beleza do TikTok e Instagram sejam esquisitas e às vezes até perigosas, essa nova técnica de camadas de produtos hidratantes na pele pode ser realmente útil para quem ama rosto com viço e luminosidade. O Moisture Sandwiching (ou sanduíche de hidratação) faz sucesso como uma técnica que prevê camadas de cuidados sobre a pele úmida para reter a água e evitar a perda transepidérmica.

“A tendência parece ter se originado na Coreia, onde as rotinas de cuidados com a pele começam com a cútis úmida, logo após a limpeza. As mídias sociais fizeram com que a expressão se tornasse mais difundida”, explica a cosmiatra Ludmila Bonelli, acrescentando que a técnica pode ser interessante para peles secas, desvitalizadas ou desidratadas.

A ordem dos produtos A especialista conta que o “sanduíche de umidade” funciona bem na pele onde há falta de água no estrato córneo (a camada mais externa da pele). “A aplicação de um sérum e um hidratante em creme na pele úmida permite que os ingredientes dessas formulações (como o ácido hialurônico) possam reter a água que está na superfície da pele e a mantenham hidratada por mais tempo”, fala Ludmila.

Ela indica começar com os produtos umectantes —como ácido hialurônico ou glicerina— e terminar com os mais oclusivos, como manteiga de karité e alguns óleos. “A água termal também pode ser aplicada, antes do sérum, em um processo de hidratação de três etapas, para fornecer alguns minerais importantes para a pele desidratada”, diz.

Regra dos três segundos Também é importante saber que a trend do sanduíche de umidade é baseada na regra coreana dos três segundos, que se refere à aplicação de produtos apenas três segundos após a limpeza, garantindo que a pele ainda esteja úmida e retendo a umidade. “Os benefícios do sanduíche de hidratação são baseados no fato de que a pele úmida absorve os produtos de forma mais eficaz e permite que os hidratantes retenham a hidratação adicional”, explica a cosmiatra.

Sem acne e sem irritação

No entanto, dependendo do produto utilizado no final do processo, é necessário ter cuidado com a técnica, já que, principalmente no Brasil com a predominância da pele oleosa, algumas pessoas podem não tolerar um bálsamo oclusivo muito pesado. Usar um emoliente mais leve como passo final pode ser eficaz nesses casos, para evitar a acne.

Outro cuidado é evitar ingredientes como retinóis ou ácidos. “A oclusão, nesse caso, pode causar irritação”, alerta a dermatologista Luciana Garbelini, de São Paulo. Mas isso não quer dizer que não seja possível uma versão anti-idade da trend. “Nesse caso, o ideal é escolher um sérum poderoso que aja em sinergia com o creme, tratando a pele por mais vias e potencializando os resultados”, diz Ludmila.

Moisture sandwiching é diferente de slugging Só não vale confundir a técnica com o slugging, que consiste em aplicar creme no rosto e, por cima, uma camada grossa de vaselina, para gerar oclusão, como um tratamento noturno para a pele. “A vaselina promove uma obstrução da pele e consequentemente dos poros. O princípio de criar camadas com a intenção de usar isso para evitar a perda de água, e como consequência melhorar a hidratação da pele, é algo interessante. Porém, na prática, é uma técnica que precisa ser bem pensada e se utilizar dos produtos certos para que não dificulte a transpiração e cause o aumento da oleosidade, levando ao surgimento de acne e cravos, situação que a vaselina pode causar por conta dessa oclusão em excesso”, alerta a dermatologista Claudia Merlo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mendonça pede vista e suspende julgamentos de Moraes contra Bolsonaro