Suspense ‘Caixa Preta’, de Yann Gozlan, estreia dia 7 de abril nos cinemas

EXIBIDO NO FESTIVAL VARILUX DE CINEMA FRANCÊS, LONGA MOSTRA INVESTIGAÇÃO SOBRE ACIDENTE COM AERONAVE QUE MATOU 300 PESSOAS

Um avião cai nos Alpes suíços provocando a morte de 300 passageiros. Resgatadas as caixas-pretas, tem início uma minuciosa investigação em busca das causas do acidente. No centro da ação está o investigador em segurança de avião Mathieu Vasseur, interpretado pelo ator Pierre Niney, protagonista do suspense Caixa Preta. Quarto filme do diretor Yann Gozlan, o longa-metragem estreia dia 7 de abril nos cinemas após conquistar o prêmio do público no 38ª Festival Reims Polar, na França, e integrar o Festival Varilux de Cinema Francês em 2021.

Responsável pela investigação, Mathieu Vasseur trabalha no BEA, o Escritório francês de Investigações e Análises para a Segurança da Aviação Civil. Ele é responsável por ouvir os muitos sons extraídos das caixas pretas para descobrir o motivo do acidente. Durante o processo, muitas vezes os ruídos o levam a caminhos opostos. E, como no passado cometeu um erro que colocou sua competência em dúvida, precisa recuperar a confiança de seus superiores e em si mesmo para conseguir revelar a verdade sobre o voo Dubai-Paris.

A tarefa se torna uma obsessão que vai transformar sua vida e suas relações, tanto as profissionais, como com seu chefe Philippe Rénier (André Dussolier), quanto as pessoais, com seus amigos e sua mulher Noemie (Lou de Lâage), que também atua na área da aviação e de quem ele chega a suspeitar. Para o diretor Yann Gozlan, a obsessão com a verdade é tema central do seu filme. “Através do personagem de Mathieu, quis mostrar até que ponto o caminho para a verdade pode ser complexo, obsessivo e sobretudo destrutivo”, ressalta.

Yann conta que seu quarto longa surgiu de sua fascinação pela aviação civil e caixas pretas das aeronaves. Ele acreditava que o tema poderia dar uma boa história e buscando veracidade procurou cercar-se de especialista de várias áreas. “Eu tive o desejo de escrever uma história que relatasse uma investigação complexa em um acidente (…) Minha ambição era discutir as novas questões que estão prestes a irromper a aviação civil: nomeadamente a assistência generalizada à pilotagem e a automação progressiva de cockpits graças a inteligência artificial (…) Esta questão dos perigos da extrema sofisticação das aeronaves me fascina porque em minha opinião, ultrapassa o escopo stricto sensu aeronáutico e refere-se a um problema universal e mais atual do que nunca: o conflito entre homem e máquina, bem como a influência da tecnologia em nossas vidas”, comenta.

Indicado ao Cesar por Caixa Preta, este é o segundo filme de Pierre Niney com o diretor Yann Gozlan. Ele já havia atuado em O homem ideal, de 2015, interpretando um escritor chamado Mathieu Vasseur, mesmo nome de seu atual personagem. O ator conta porque o tema do filme chamou sua atenção: “Os acidentes de avião, o mistério das famosas caixas pretas, encontradas ou não, sempre me fascinaram – todos tendemos a desenvolver um voyeurismo um tanto mórbido diante desse tipo de evento. Mas eu desconhecia todos os jogos de poder, manipulação e dinheiro que agitam esse ambiente”. E comenta: “Gostei da precisão que leva Mathieu a encontrar a verdade; o lado paranoico e nervoso do assunto, as surpresas do cenário que nos mantêm constantemente em suspense; e também gostei muito da história desse casal que vai implodir por causa dessa investigação”

Conhecido do público brasileiro, principalmente pelos filmes integrantes do Festival Varilux, Pierre Niney já ganhou o César de Melhor Ator por Yves Saint Laurent. Já esteve no Varilux também com Frantz, Promessa ao Amanhecer e Através do Fogo.

“Esse thriller psicológico traz uma mise en scène clássica e eficaz, brinca com o som na mesma linha de “Alerta Lobo”, de Anthony Baudry, e mergulha seus espectadores em uma corrida contra o relógio, na qual cada cena se faz cada vez mais opressora,     até entregar um resultado inesperado.”

CNews

“A busca obsessiva do herói estende-se em uma sofisticada encenação que faz de Caixa Preta um enredo paranóico e extremamente eficaz.”

Ouest France

Ficha técnica

CAIXA PRETA

(Boîte Noire) 2020 / 2h09 / Thriller, Drama

Com: Pierre Niney, Lou de Laâge, André Dussollier, Olivier Rabourdin

Direção: Yann Gozlan

Classificação pretendida: 14 anos

Distribuição no Brasil: Bonfilm

Sinopse: O que aconteceu a bordo do voo Dubai-Paris antes de bater no maciço alpino? Técnico na BEA, autoridade responsável pelas investigações de segurança na aviação civil, Mathieu Vasseur é o investigador principal desse desastre aéreo sem precedentes. Teria sido um erro do piloto? Falha técnica? Ato terrorista? A análise minuciosa das caixas pretas fará com que Mathieu conduza secretamente a sua própria investigação. Ele ainda não sabe até onde vai a sua busca pela verdade.

Yann Gozlan é um roteirista e diretor francês nascido em Aubervilliers. Na juventude, abandonou seus estudos em Economia para estudar Cinema na Universidade Paris VIII. Após os curtas Pellis (2004) e Echo (2007), escreveu e dirigiu seu primeiro longa em 2009, o thriller psicológico O Cativeiro, com Zoé Félix, Eric Savin e Arié Elmaleh. Em seu segundo longa-metragem, em 2014, dirigiu Pierre Niney, então recém-premiado com um César, na obra O Homem Ideal. Asfalto de Sangue, de 2017, foi seu terceiro filme, com François Civil, Olivier Rabourdin, Manon Azem, entre outros.

Sobre a Bonfilm

Realizadora dos festivais como Varilux de Cinema Francês, em todo país, e Ópera na Tela, em tendas montadas a céu aberto no Rio e em São Paulo e nos cinemas brasileiros, a produtora Bonfilm é também distribuidora de filmes. Já lançou dezenas de títulos no mercado nacional, entre eles sucessos como Pequeno Nicolau; Asterix, o Segredo da Poção Mágica; Asterix e o Domínio dos Deuses; O Novato; A Revolução em Paris e Amor à Segunda Vista. Em 2022, lança aos cinemas cinco produções que integraram a edição de 2021 do Festival Varilux do Cinema Francês.

Fonte: Katia Carneiro

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Datafolha: Eleitor de Bolsonaro desaprova STF e não foge de discussão virtual