A tecnologia a serviço da beleza

Produtos cada vez mais eficientes, aliados a equipamentos de tecnologia avançada e protocolos específicos têm ótimos resultados

Quem não quer ter uma pele sem rugas e sinais do tempo? Esse é o sonho da maioria das minhas pacientes, uma pele saudável e sem sinais de expressão. Atualmente, temos a tecnologia como nossa aliada e, muitas vezes nem percebemos que graças a ela, temos novos e variados recursos para melhorar nossa qualidade de vida, saúde e bem-estar.

Estão aí para provar isso, os diversos aparelhos que surgem para ajudar no tão sonhado rejuvenescimento facial.

Claro que todo tratamento não faz milagre por si só, precisa de uma alimentação saudável, cuidados com exposição excessiva solar, diminuição no consumo de álcool e tabagismo e cuidados diários com a pele (limpeza, uso de bons produtos).

Veja como funciona:

  • Efeito pelling
  • Aplicação de ativos Fotoestimuladores;
  • É utilizado aparelhos de luz intensa pulsada de ENERGIA PLANA, o que é o grande diferencial das novas tecnologias que existem atualmente no mercado. A tecnologia de energia plana fornece um método inovador. Ela distribui a energia em uma área pré-determinada, diferente de outros equipamentos de LIP e lasers, nos quais o disparo é espalhado sobre a pele, perdendo-se boa parte de sua energia.
  • Com esse sistema o tratamento torna-se mais seguro, causando menos dor e ardência, além de demonstrar resultados mais rápidos e eficazes.
    Cuidados pós-tratamento:
  • Sem exposição ao sol por 4 semanas. Mesmo evitando a incidência dos raios ultravioleta, utilize filtro solar mínimo “FPS 30” 15 minutos antes de sair; repasse a cada 3 horas. Isso deve ser feito durante e após o tratamento.
  • Não usar nenhum tipo de produto ou medicamento na área tratada sem prescrição do profissional que executou o procedimento.
  • No dia da sessão, evitar tomar banho quente, exercícios aeróbicos e massagens, a fim de evitar traumas na área tratada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

43% dos beneficiários do Auxílio Brasil estão inadimplentes