Mano Brown: “Lula virou ‘bandido’ em dez anos. Brasil tem memória curta”

Prestes a lançar a segunda temporada do podcast “Mano a Mano”, o rapper Mano Brown contou como a primeira temporada do programa transformou sua vida e o ajudou a ser visto de uma forma diferente pelo público. O artista disse, em evento para a imprensa, que suas ideias precisam ser passíveis de questionamento e fez uma comparação com a trajetória do ex-presidente Lula — um dos convidados de maior sucesso que já passaram pelo programa.

“Quando eu me coloco em dúvida, eu pago o preço”, afirmou. “As pessoas perguntam: ‘Cadê aquele Brown das ideias que eu aprendi, ele está se questionando?’ Questione-se você também.”

Temos que tirar o Lula como exemplo [do questionamento]. O cara que teve quase 80% de aceitação e depois foi preso. Em dez anos, ele virou um ‘bandido’. Esse é o Brasil, memória curta.

“Temos que saber em que mundo a gente vive. Muitas vezes, é bélico, uma guerra ideológica. Algumas vezes, física mesmo.”

Após o sucesso da primeira temporada do programa no Spotify, Brown retorna para os próximos episódios a partir do dia 24 de março, próxima quinta-feira. O cantor conta que fazer o podcast tem sido uma oportunidade para ele aprender e continuar estudando.

“Venho aprendendo, saí de uma zona de conforto. Entendo que posso estar me expondo e mostrando fragilidades. Tem que ter uma certa frieza, preciso me resguardar ao que tenho que fazer, e não em focar em mim. Se você tem um grande entrevistado, mas não faz uma boa pergunta, o problema é você.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

43% dos beneficiários do Auxílio Brasil estão inadimplentes