Filme de Gentili: Ministério da Justiça eleva censura para 18 anos

O longa que vem sendo alvo de polêmica na mídia recebe uma nova ordem para trocar a censura de 14 anos para 18

O Ministério da Justiça mudou a classificação indicativa do filme “Como se tornar o pior aluno da escola”, de 2017, de 14 anos para 18 anos. O despacho assinado pelo secretário José Vicente Santini,  publicado no Diário Oficial da União desta quarta-feira, 16, cita “tendências de indicação como coação sexual, estupro, ato de pedofilia e situação sexual complexa” como justificativa para a alteração.

O texto também recomenda que o filme seja exibido após as 23h em televisão aberta. A nova classificação etária, com os devidos descritores de conteúdo, deve ser utilizada em qualquer plataforma ou canal de exibição de conteúdo classificável em até cinco dias corridos.

A decisão vem um dia depois de outro despacho do Ministério da Justiça – pelo Departamento de Proteção e Defesa do Consumidor – censurar a exibição da comédia em plataformas de streaming após a produção ficcional ser atacada por bolsonaristas nas redes sociais por conta de uma cena em que crianças sofrem assédio sexual de um personagem adulto.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Alexandre de Moraes exalta urnas e firma posição combativa do TSE contra fake news